Maratona Londres 2010

Deixe um comentário Padrão

Não poderia começar este post sem contar um pouquinho da história da Maratona, fato ocorrido no post anterior. Embora o post esteja atrasado, uma vez que a maratona de 2010 ocorreu no último domingo dia 25/4, postergá-lo não adiantaria, afinal, em Londres tal evento acontece todo mês de abril, por isso o priorizei.

No último domingo tive minha estreia em maratona, ainda que sendo só telespectadora. Ver tão próximo, corredores prestigiados, de renome no esporte é muito legal, afinal, eles não correm… flutuam. Cada passo deles fica maior do que eu, embora para realizar tal façanha não necessite de muito…kkkkkkk

No 22º Km de prova ele já estava em 2º lugar e permaneceu até o fim

No 22º Km de prova ele já estava em 2º lugar e permaneceu até o fim

Assistir a maratona, me deixou com uma sensação de que reclamamos por demais da vida que temos, principalmente se olharmos para o lado e percebermos que nossos problemas não são nada comparados aos dos outros.

Levei um “banho” vendo os cadeirantes com as mãos suadas, enfaixadas e sangrando, tendo garra que só Deus sabe de onde tiram, para girar as rodas de suas cadeiras e completarem mais uma volta, em meio a tanto cansaço e esforço. Sem dúvida alguma é uma lição de amor à vida, ao esporte e cidadania. Isto sem falar das pessoas mais velhas com idades entre 60-80 anos, disputando a prova com um sorriso de orelha a orelha, me senti uma completa velha resmungona…kkkk

DSC07085

DSC07098

A borboleta rosa é o patrocinador do evento e dono da Virgin – Richard Branson

Eu jamais tive a idéia de correr para qualquer prova de atletismo, quanto mais uma maratona, por sempre achar que não aguentaria, que me cansaria, entretanto, assisitir esta maratona me fez pensar e repensar este conceito.  Acredito, que ainda seja cedo para falar qualquer coisa sobre treinamento ou disputa de provas, só posso garantir que se tiver a oportunidade de assistir novamente, iria sem pensar para aplaudir estes tão nobres atletas.

História sobre a Maratona

Deixe um comentário Padrão

Sem dúvida alguma podemos dizer que a Grécia é o berço dos esportes e consequentemente das Olimpíadas. Rege a lenda que no ano de 490 a.C, um corredor chamado Pheidíppides, sacrificou sua vida para percorrer os 40 km entre as cidades de Maratona e Atenas, tendo por objetivo levar a notícia da vitória grega sobre os persas. Milhares de anos depois, em 1896 foi realizada a primeira maratona dos Jogos Olímpicos Modernos.

No ano de 1908, a cidade de Londres sofre uma alteração no percurso dos Jogos Olímpicos, para que a família real pudesse assistir ao início da prova no jardim do castelo de Windsor. O cômite então, aferiu a distância total de 42.195 metros que permanece até hoje.

A história da Maratona de Londres, nasce com dois  jovens amigos ingleses em um bar no final dos anos 70 (John Disley e Chris Brasher, hoje falecido), após ouvirem membros do clube do qual faziam parte falarem por diversas vezes sobre a Maratona de Nova York. No ano de 1979 fizeram uma formação e foram disputar a mesma. Encantados com pouco mais de 11.000 corredores naquele ano, com o público e a cidade, se questionaram em por que não exporem a idéia e realizar o mesmo em Londres.

O projeto foi apresentado para os órgãos responsáveis e usava o rio Tâmisa como base para toda a competição e trajeto dos corredores. Após a aprovação e entendimento da polícia para tal evento, uma vez que iriam fechar os prinicipais pontos da cidade durante toda a prova, surge outro problema, conseguir patrocínio para as £ 75.000 orçadas com a competição, valor este que somente as inscrições não bancariam.

Para sorte dos amigos, a empresa Gillette aceitou patrocinar o evento e fechou o acordo por três anos. Logo no primeiro ano a corrida foi um sucesso, das 20.000 pessoas que queriam participar, 7.747 foram aceitos e 6.255 foram finalistas. Em 1982 o número de inscritos passou para 90.000 e a entrada foi limitada a 18.059 corredores.

Com o decorrer dos anos, muitas empresas foram partocinadoras do evento, em 2010 a Virgin se responsabilizou pelo patrocinío de 2010 – 2014 e injetará durante este período £ 17 milhões. Tirando o fato que o número de inscritos anualmente aumenta, tal maratona merece uma atenção especial por dar oportunidade as associações de arrecadarem donativos atráves dos seus inscritos (fantasiados ou não), beneficiando milhares de doentes e quebrando anualmente recordes no Guiness.

Em 2008 foram levantados £ 46.700.000, estimando-se que desde 1981 tenham sido arrecadados em torno de £ 450.000.000 através dos seus mais de  746.635 corredores até 2008.

Em 2010 a princesa Beatrice foi o primeiro membro da realeza a realizar a prova. Beatrice, o namorado, os filhos do patrocinador Richard Branson com mais 30 pessoas, correram amarrados por cordas e além de arrecadarem dinheiro para uma instituição, quebraram o recorde de maior número de pessoas a realizarem e concluirem a prova juntas.

Fotos

Comentários 2 Padrão

Vou atualizar os posts de Londres aos poucos. Em breve, estarei em dia com os acontecimentos. Enquanto isto, as fotos podem ser vistas no FOTOBLOG da coluna ao lado ou direto pelo link aqui.

O primeiro mês

Deixe um comentário Padrão

Durante este período que estou em Londres, tenho que confessar que já existem inúmeras coisas que gosto e outras nem tanto. Primeiro você chega como um verdadeiro turista, querendo ver e conhecer tudo o que puder em um curto espaço de tempo. Acredito que até aí tudo esteja normal, o que você não espera é encontrar tantas opções dentro de uma mesma cidade.

Em Londres o que não faltam são atrações e entretenimento, então, todo turista começa sempre pelos pontos principais: London Eye, Big Ben, Tower Bridge, os museus, o Palácio de Buckingham, Oxford Street, Piccadilly Circus, ufa, já cansei de escrever e ainda existem outras atrações que em breve detalharei cada uma individualmente.

Embora tenha conhecido todas as atrações acima, não conheço quase nada dos ingleses. Afinal, Londres não é uma cidade inglesa é uma cidade mundial, onde todas as nacionalidades convivem diariamente, o que reflete no cotidiano de quem aqui vive devido o choque de culturas.  Isso com certeza merece um outro post.

Com isso o tempo passa, quero dizer, nesta cidade ele voa… e o primeiro mês chega. Período este que serve para observações, escolhas e adaptações. As opiniões e conclusões são feitas em fatos reais agora, já que você começa a não se sentir mais “turista”.  Seu corpo e mente são os primeiros a detectarem e perceberem estas mudanças. Surge a necessidade de se criar espaço, adquirir uma nova identidade, nova língua, novos amigos, novos hábitos e costumes. Descobertas diárias…

Hoje, afirmo que fui totalmente precipitada em julgar e estabelecer uma opinião sobre algo que não conhecia. Embora Londres seja 1/3 de São Paulo (em população), tenho que afirmar que estou adorando esta mini São Paulo na Europa.