Todos os convites em um só dia

Deixe um comentário Padrão

Alguém já passou pela cena a seguir ou só acontece comigo?

Existem dias que nada acontece, nenhum convite, programação, vontade de sair, idéia diferente, nada de nada (esse foi meu dia ontem). Entretanto, em outros… Você é escalado para jogar noventa minutos sem intervalo.

E se a escalação foi feita, o jogo tem que começar.

Por isso, saímos de casa pré – programados para a maratona de churrasco, piquenique no parque e jantar com os amigos. O que só não contávamos (eu) era com imprevistos.

O churrasco que era para começar às nove da manhã, só rolou depois da corrida de F1 no horário do almoço, graças ao pequeno atraso do dono da casa. Daí, nem preciso contar o que aconteceu, né!

Correria e correria para chegar ao parque com o piquenique iniciado há tempos. O que se torna uma diversão no meu caso, e impaciência no caso do meu marido.

Ok, que não aproveitamos do jeito que havíamos planejado, mas, àquela hora (17h00min), nem tudo foi em vão.

Ainda deu tempo dos meninos jogarem, interagirem, as meninas fofocarem e se programarem para o próximo encontro.

 Já no fim do dia, a única coisa que aconteceu no horário certo, foi o jantar. Mesmo, com um pessoal a menos, o dia fechou do jeito que eu gosto: bem vivido e com gostinho de quero mais!

48

PS: quem manda o dia ter só vinte e quatro horas! (kkkkkkkk)

Love Never Dies – O Amor Nunca Morre

Deixe um comentário Padrão

Love Never Dies (O amor nunca morre em português),  é a continuação de uma das maiores produções teatral dos últimos anos – The Phantom of the Opera (O Fantasma da Ópera).  

Por isso, se você não quer descobrir como essa linda história termina é melhor não continuar lendo este post.

Se você continuou é porque tem tanta curiosidade de descobrir o desfecho dessa história, quanto eu tive em descobrir que a peça estaria saindo de cartaz após anos em Londres.

Por isso, não pensei duas vezes em assisti-la. Afinal, Love Never Dies é uma produção do mesmo compositor e produtor musical inglês Andrew Lloyd Webber, responsável pelo Fantasma da Ópera.

A peça começa em 1907, cerca de dez anos depois do misterioso desaparecimento do Fantasma da Ópera, em Paris. Quando Christine, aceita uma oferta de cantar na América e atuar em um fabuloso e novo palco de Nova York – Coney Island, a pedido de um novo empresário (o Fantasma).

Após sua chegada na cidade, com o filho Gustave e o marido Raoul, não demora muito para Christine descobrir que o Fantasma não havia morrido e que ele estava por trás de tudo. Com isso, o reencontro dos dois se torna inevitável e o Fantasma começa a relembrar o amor que eles sentiam e a última noite que se encontraram antes de Christine se casar. Neste momento, após serem interrompidos por Gustave, Christine apresenta o filho ao Fantasma, dizendo, que ele é o novo empresário para qual ela irá cantar.

Já no Coney Island, o ciúme paira novamente por Meg (a melhor amiga de Christine, mas, também sua principal concorrente) e por Giry (que sempre ajudou o Fantasma, mas descobre que ele nunca esqueceu Christine), ao saberem que Christine está de volta e irá retornar aos palcos.

Com isso, Giry conta a verdade sobre a identidade do novo empresário (fantasma) para Raoul. E o Fantasma, tenta se aproximar de Gustave, que imediatamente, percebe que eles têm algo em comum e resolve tirar a máscara na esperança do menino o aceitar como ele é.

Entretanto, Gustave fica horrorizado com a imagem que vê e Christine aparece para acalmá-lo. Em seguida, após insistentes pressionadas sobre a verdade, ela revê-la que ele – o Fantasma é o verdadeiro pai de Gustave.

Giry, escuta a conversa e fica com medo de perder todo o dinheiro que depositou no Fantasma neste tempo que ele ficou escondido. Enquanto, Meg aconselha Raoul em um bar a fugir com Christine e o filho antes que o Fantasma os persiga.

Raoul por sua vez, diz não temer o Fantasma e Meg deixa o local para nadar como faz todos os dias, para diminuir o stress no Hall do Suicídio. No entanto, o fantasma disfarçado no bar de garçom, e após ter ouvido toda a conversa entre os dois, propõe para Raoul, que se Christine não cantar, eles poderão ficar juntos e partir, já se o contrário acontecer, ele deve partir sozinho, o que significa que ela não o ama. Raoul, temendo ser rejeitado, pede a Christine para eles partirem. Mas, ela resolve cantar e seu sucesso é garantido.

Meg vendo isso e tendo feito uma de suas melhores apresentações, poucos momentos antes, fica totalmente enfurecida ao saber que o Fantasma só assistiu Christine. Como conseqüência, ela seqüestra Gustave.

O Fantasma ao perceber o ocorrido, suspeita em primeiro momento de Giry, mas a mesma após ser vista por outros integrantes da peça no local, passa a ajudá-lo novamente.

Por fim, todos se encontram no Hall do Suicídio, e Meg se prepara para afogar o menino. Com uma arma em mãos, ela faz com que o Fantasma a ouça e revela que todo o dinheiro que madame Giry o ajudava, vinha dela, trabalhando como prostituta.

Com isso, e na tentativa de acalmá-la o Fantasma tenta fazer com que Meg dê a arma a ele, mas acidentalmente, a arma dispara e Christine é atingida.

Entretanto, poucos minutos antes dela morrer, Christine confessa a Gustave que seu pai verdadeiro é o Fantasma e com um último beijo morre nos braços do seu grande amor – o Fantasma. A partir daí, o mesmo consola o filho que o aceito e o reconhece sem máscara.

O Amor Nunca Morre é exatamente isto! Uma linda história de amor voltada literalmente para os grandes contos ingleses de romance. Assim, como Shakespeare em Romeu e Julieta, onde não importa o tempo, à distância, as barreiras ou acontecimentos, o verdadeiro amor vence e supera tudo!

Claro, que quem assiste o Fantasma da Ópera e depois o Amor Nunca Morre, perceberá diferença nas produções e no musical menos impactante, uma vez que, a segunda obra é mais voltada à história e diálogos.

Contudo, mesmo ficando ludibriada com a primeira produção e revoltada com a segunda a principio, pelo final, a obra sem dúvida transmite uma linda mensagem.

Para mais informações acesse o site: Love Never Dies.

A loja da M &M’s em Londres

Comentários 2 Padrão

Que chocolate é o doce mais popular, famoso e consumido no mundo, acredito que ninguém tenha dúvida. Mas, alguém já imaginou existir após tantas combinações com essa maravilha, uma loja de quatro andares, dedicada unicamente a um desses tipos?

Localizada no coração da cidade, em plena Leicester Square, o M & M’s World é a quarta loja da rede e a primeira fora dos EUA.

Inaugurada a pouco mais de um mês, a loja possui logo na entrada, um dos famosos ônibus de dois andares da cidade. Onde além de ser possível fotografar, encontram-se diversos artigos envolvendo os confetes mais famosos no mundo.

Artigos estes, que podem ser personalizados entre as vinte e duas cores de confetes que a pessoa desejar, dentro dos diversos modelos e caixas existentes. Isto tudo, sem contar os brinquedos, canecas, souvenires, roupas, artigos de natal, peças de decoração, artigos de cozinha, entre outros.

Back Camera

Entretanto, de todas as atrações que a loja possui, sem dúvida alguma a mais fotografada é a encenação da famosa cena dos Beatlles atravessando a rua Abbey Road, neste caso, a M & M’s Road.

O que torna assim, a loja diversão garantida para os adultos e crianças.

PS: para mais informações sobre as lojas, clique aqui.

Sabemos guardar segredo

Deixe um comentário Padrão

Que tal participar de um aniversário, onde todos os convidados se fazem cúmplices para uma festa surpresa?

Foi exatamente isto que aconteceu no aniversário da Giselle, com tudo sendo preparado sob seus olhos e ela nem para desconfiar. O que garantiu o sucesso total da surpresa e um almoço a la brazuca.

O que me fez sair da festa pedindo receita. Afinal, meus dotes culinários precisam evoluir… kkkkk