É hora de colocar a casa em ordem

Comentários 4 Padrão

Por onde começar? Eis a questão?
Sabe aquela frase:”amanhã faço, amanhã escrevo”, pois bem, essa foi a minha por quase 3 anos nesse blog. Tempo que não passou, voou. Tantas coisas aconteceram… mas, a vontade e gosto de escrever nunca sumiram. Hoje, pensando nas metas e objetivos que tracei para 2016 resolvi tomar vergonha e voltar a fazer algo que sempre me deu muito prazer – escrever. Resolvi que talvez, o amanhã esteja muito longe e o hoje, o agora, faz toda a diferença quando queremos que algo aconteça. Por isso, se ainda sobrou algum leitor aqui, informo que o blog está oficialmente reaberto e que embora possa demorar tentarei ao máximo correr atrás do tempo perdido e ir postando e atualizando o mesmo. Afinal, agora tenho um leitor mais do que especial – meu anjo. Um anjo de 9 meses que me faz acreditar que tudo é possível quando temos fé e determinação, que não existe a palavra impossível. E que as 24 horas que temos por dia podem ser intensas e bem vividas quando queremos!

Vamos falar de moda

Deixe um comentário Padrão

Aproveitando a recente Semana da Moda de Londres que ocorreu há dias atrás, porque não abordar um assunto pouco divulgado neste blog – MODA.

Afinal, confesso desde já, que tal tema nunca foi minha especialidade. Até mesmo, por acreditar que moda além de ser muito pessoal, está relacionada com seu estado de espírito, humor, ocasiões e afins. E não é porque todo mundo usa determinado tipo de roupa, deva eu fazer o mesmo só para parecer “na moda”.

A meu ver, o mais importante é a pessoa se sentir bem como está, independente do que os outros irão falar ou não. E Londres para isso é um exemplo e vitrine para o mundo.

Ninguém repara se você está pelado ou de roupa de galã em pleno centro da cidade as 9:00 hs, tampouco, se em pleno inverno você está de mini saia e blusinha regata (pra lá de frequente), ou, se você mistura veludo com blusa estampada, calça rasgada, bolsa colorida e chinelos. O problema é seu!

Talvez, seja por isso, somado ao estereótipo consumista dos ingleses, que Londres ganhe cada vez mais atenção do mundo inteiro neste setor. Atingindo uma sociedade que não está nem um pouco preocupada se isso combina com aquilo e pode ser usado com aquilo outro na hora de se vestirem. O que para padrões italianos é a morte, para Lady Gaga é diversão.

Fato que me cativa e amo cada vez mais nessa cidade. Ser quem você é sem ninguém te julgar se você veste H&M, Primark, entre outras, ou está de Hermès e Stella McCartney.

Essa mescla de marcas populares e grifes, disputando mercado diariamente e somados a texturas, cores, preços, qualidades, estilos e personalidades, não só caracterizarem a moda londrina, mas possibilita também todos os níveis econômicos terem acesso.

Afinal, a moda não está só gravada e ditada nos desfiles de passarelas, com roupas exclusivas, por vezes surreais e caríssimas. Se fosse assim, tendências não fariam o sucesso que fazem e a aceitação e consumo do público jamais alcançaria as proporções que atinge.

Principalmente, pela rapidez e diversidade do setor. Uma vez que “moda” recria-se, renova-se, ressurge e se dita diariamente. Fazendo com que é classificado “in” hoje, passe a ser “out” amanhã.

Por isso, estou pensando em dedicar as sextas-feiras aqui no blog para falar sobre esse assunto tão extenso, complexo, divertido e que está presente em nossas vidas diariamente.

O que vocês acham? Deixem seus comentários, idéias e sugestões. Irá ser uma diversão colorir este blog!

Alguém pensa que esqueço o que prometo?

Deixe um comentário Padrão

Após escrever o último post em que prometi voltar as escrever e atualizar o blog, muita, mas muita coisa aconteceu…

Entre alguns posts atrasados que foram publicados, outros pré – escritos, tivemos um mês bem corrido, agitado e um tanto quanto turbulento. Um mês de alguns stresses além do normal, mas também, algumas grandes alegrias que acredito não só serem um recomeço, mas também, um grande passo para aquilo que nos propormos a fazer quando pra cá viemos.

Primeiro, porque foi neste momento de grande “surpresas” que tivemos que tomar uma decisão e agora, posso dizer que graças a Deus, temos um lugar só nosso na terra da rainha. Embora, pequeno amei desde o princípio e tamanho, literalmente, não é nada comparado, quando você sai da sua casa, do seu país e vê sua vida resumida a duas malas de 32 kg e uma cama para dormir. Afinal, pra quem morou em um quarto durante um ano inteiro, ter agora uma mini casa é bom demais!!!!!!

O pique é diferente, o ânimo melhora e a qualidade de vida física e mental se modifica. Quem é ou já foi extrapiado sabe bem do que estou falando.

Por isso, o mês de Maio, ficou assim, cheio de correria, decisões, mudanças e praticamente nenhuma atualização deste blog. Afinal, sem internet nada é possível.

No entanto, acredito que na sexta 10/6 (prazo dado pela companhia para ligar a internet), as aventuras retornarão. E assim, poderei contar e compartilhar com vocês alguns capítulos que foram perdidos durante este tempo.

O primeiro ano do blog

Deixe um comentário Padrão

UUUUUUUhhhhhuuuuuuuu, 1º aniversário!!!!!!!!!!!!

Hoje, faz exatamente um ano em que as Aventuras da Carol estão no ar e para resumir, só tenho a agradecer todos aqueles que durante este tempo, entraram aqui uma vez ou diariamente (minha mãe/ sogros), seja para nos acompanhar, para pesquisa ou porque simplesmente caíram de paraquedas na busca do Google.

No começo, confesso que até eu mesma não imaginava que pudesse ir tão longe ou que tivesse conteúdo para ir postando, atualizando e pautando. Porém, com o passar do tempo e devido o feedback (retorno), pude perceber que além disso viciar, virar hobby e em muitos momentos ser a única coisa que adoraria fazer (viver de comunicação), pode ajudar e ser útil para outras pessoas em busca de informações e dúvidas. Da mesma forma, que tantos outros me serviram de incentivo e são meus livros virtuais obrigatórios até hoje.

Por outro lado, sei que tenho muito a melhorar para este segundo ano, começando por mantê-lo menos atrasado com os textos e fotos. Entretanto, gostaria de ter muito mais tempo para me dedicar a esta minha paixão que é a comunicação/ jornalismo. Mas, infelizmente, como isso ainda não é possível (alguém se habilita a me contratar?), as aventuras vão acontecendo e ainda que publicadas tardiamente, serão sempre divididas, afinal, nunca se sabe onde um novo paraquedas pode cair.

Por tudo isso, só tenho a dizer MUITO OBRIGADO a todos que fizeram, fazem e irão fazer parte dessa aventura!