Roteiro turístico em Barcelona

Deixe um comentário Padrão

Deixando um pouco de lado os caminhos de Gaudí, Barcelona oferece também, outras opções de entretenimento e diversões.

Plaza Catalunya: Considerada a principal praça da cidade, além de ser o início da avenida “Las Ramblas”.

Las Ramblas: Situada entre a Plaza Catalunya e o largo do Monumento de Colón (Cristovão Colombo), a beira mar, essa avenida de 1,2 km de extensão, esta cercada de bares, restaurantes, lojas de souvenires, flores e artistas de rua. Além de ser fazer divisa com o Bairro Gótico e El Raval.

Nas Las Ramblas, encontram-se também: o “Gran Teatre Del Liceu”, que passou por dois incêndios, e após recuperação foi transformado em sala de Ópera; o “Edifício Bruno Quadras”, que era uma fábrica de guarda-chuvas e hoje é representado com um dragão na sua fachada e o “Mercat de Sant Josep de La Boqueria” que é um dos mais tradicionais mercados de frutas, verduras e peixes.

Dica: como se trata de uma região popular (Las Ramblas), com um grande fluxo de pessoas, todo cuidado com os batedores de carteiras é pouco. Isso foi o que o hotel nos alertou.

Bairro Gótico: é o bairro mais antigo de Barcelona, que deu origem ao centro geográfico da cidade. Cercado de vielas, becos e formado por prédios em sua maioria residências, igrejas, bares, pequenos teatros e artesões. Dentre as igrejas, destaque para a Catedral de Barcelona.

Montjuic (monte dos judeus): Mundialmente famoso após as Olimpíadas de 1992, com seus parques, museus, centros olímpicos e seu castelo, o complexo atrai não só os admiradores de esportes, mas os apreciadores de arte e outras belezas da cidade. Por não ser no “centro”, a melhor opção é a utilizar os transportes públicos.

O complexo também oferece o Teleférico de Montjuic que transporta o visitante até o castelo e possibilita uma das melhores vistas da cidade. Esta última opção, infelizmente, ficará para a segunda viagem, mas fica a dica.

Assim como as praias, destacando Barceloneta, como a principal, seu calçadão (Rambla de Mar), orla, o Port Veil, o Acquarium, a Marina e o porto olímpico.

Destaque também, para o bairro El Raval, conhecido pela colonização oriental, a Arena de Barcelona, que no passado era uma arena dos touros, mas, hoje é um shopping. O Bairro Gracia, que se concentram além das lojas de grifes, as famosas obras de arte de Gaudí e a Passeig de Gracia, com suas ruas largas e sua arquitetura ímpar nos prédios.

Arena de Barcelona

E quem disse que só Paris tem um Arco do Triunfo? O Arc de Triomf e o Parc de La Ciutadella complementam essa cidade, que mescla tudo isso ao modernismo, encontrado, não só nas obras de Gaudí, mas, no Bairro de Eixample, com a Rota do Modernismo, ou nos prédios mais atuais, como a Torre Agbar.

Enfim, como se podem notar opções, passeios e entretenimento são o que não faltam. No entanto, se entre tantas opções nenhuma lhe interessar, você pode optar pela última alternativa de visitar a cidade só para assistir o Barcelona em seu estádio, com sua torcida tão apaixonada pelo time quanto pela cidade.

o único lugar que as mulheres assistem os homens comprando.

Pontos turísticos em Barcelona – caminho Gaudí

Comentários 2 Padrão

Barcelona, infelizmente, não é uma cidade onde seus “pontos turísticos”, estão agrupados. Tampouco, concentrados em um mesmo bairro ou local. Por isso, a utilização dos transportes públicos se faz, mas do que necessária.

No entanto, a utilização dos mesmos é simples e fácil, desde que o turista esteja munido com um mapa de metrô e do bilhete de transporte que dá acesso aos ônibus também.

Dica: caso você opte por visitar mais de um monumento ou local utilizando o passe, compensa mais cobrar o bilhete de 10 viagens do que os unitários, sem contar que o mesmo bilhete pode ser usado para até 10 pessoas, neste caso, no mesmo transporte. (só descobrir isso no último dia e após comprar bilhetes individuais).

Barcelona é uma cidade, que em quase toda esquina, você encontrará algo que prenderá sua atenção. Sejam nas famosas obras de Gaudí (A Sagrada Família, o Parque Guell, o prédio La Pedrera ou a Casa Batló), na praia, nas praças, monumentos ou avenidas. Por isso, renda-se a cultura catalã e absorva o máximo que puder da cidade.

Sagrada Família: A obra mais famosa de Gaudí é uma catedral que teve início em 1882 e tem previsão de conclusão em 2092, de acordo com os livros. Quando Gaudí morreu, somente uma parte do projeto estava concluída, o mesmo, no entanto, foi continuado por um grupo de arquitetos e até hoje, suas idéias e propostas intrigam a fidelidade e norteiam a obra do artista.

Atualmente, das 18 torres previstas (12 simbolizando os apóstolos, 4 evangelhos e Maria e Jesus – as mais altas), apenas 8 estão construídas. E quando o projeto for concluído será a maior Igreja da Europa. Na igreja também, estão enterrado os restos mortais de Gaudí.

Embora, possa parecer “moderna” demais para uma igreja, na opinião de muitos, é a igreja mais bonita que já vi até hoje. Mais impressionante é pensar, que foi planejada entre 1884 – 1926.

Parque Guell: Um parque ao ar livre com entrada gratuita, cercado de mosaicos e obras do artista. Cheio de formas, curvas e elementos arquitetônicos, dragões e salamandras coloridos, pilares estranhos, sem nenhuma linha reta. Nele também se encontra a Casa-Museu Gaudí, onde o artista viveu cerca de vinte anos. E é considerado desde 1984, Patrimônio Mundial da Unesco.

 

 

casa onde viveu Antoni Gaudí

Dica: melhor acesso de ônibus, a linha de metrô mais próxima fica distante.

La Pedrera/ Casa Milà: Aberto a visitação pública assim como a Casa Batló, a La Pedrera é um edifício, formado por apartamentos que foi a última obra de Gaudí, antes de começar a Sagrada Família. O prédio possui um museu dedicado ao artista, além do seu terraço com chaminés lembrando os guerreiros medievais serem a atração principal. 

Casa Batló: Apesar de ser uma casa particular nos dias de hoje, a Casa Batló, faz parte da “Manzana de la Discordia”. A Manzana consiste em três casas construídas sob encomendas na época para famílias burguesas (rivais), por três arquitetos rivais. Gaudí entre eles assina a Casa Batló.

 

Suas fachadas embora relembrem máscaras carnavalescas venezianas, foram esculpidas em forma de crânios das vítimas. O que nos leva a acreditar que a rivalidade era mais séria do que se possa imaginar. No entanto, seu telhado novamente, é um capítulo a parte. Neste caso, imitando o dorso de um dragão, ou escamas de um peixe.

E enquanto, a La Pedrera sai por volta de 11,00 €, a Casa Batló equivale-se ao preço da Sagrada Família 18,00 € (preços em Janeiro/2012).

Assim, fica impossível falar de Barcelona e não relacioná-la a Gaudí. Essas, quatro obras por si só já valem a pena o passeio.

Barcelona – a capital Catalã

Deixe um comentário Padrão

Aproveitando a visita dos sogros em Londres, resolvemos presenteá-los com um fim-de-semana em um país que ninguém conhecia.

Por isso, a escolha contribui para uma cidade única, diferente, vivaz, alegre, colorida, animada e festiva. Afinal, que outra cidade no mundo pode-se dizer que é a capital de uma região e com língua própria (catalão)? Nenhuma! Porque todos esses atributos só pertencem a Barcelona.

Considerada a segunda maior cidade da Espanha, ficando atrás somente da capital do país – Madrid, Barcelona é a tradução nítida da cultura e arte espanhola. Uma cidade banhada pelo mar Mediterrâneo e com uma arquitetura distinta e expressa por todos os lados por seu arquiteto gótico mais famoso (Antoni Gaudi).

E embora, não conheça outras cidades espanholas, posso dizer baseada na vida noturna da cidade que Barcelona é sem dúvida a mais turística do país.

Fato, mas do que exposto na sua cultura local, suas atrações, praia, culinária, monumentos, ritmo e agitação, que o povo catalão faz questão de manter e se orgulhar.